Quinta, 15 Março 2018 15:20

CREF17/MT busca apoio da ALMT para derrubada de veto contra profissionais de Educação Física

Avalie este item
(0 votos)

 

Assessoria de Imprensa

CREF17/MT

Após o governo do Estado vetar o Projeto de Lei (PL) 416/2016 que trata da obrigatoriedade da contratação de profissional graduado em educação física e registrado no Conselho Regional de Educação Física da 17ª Região (CREF17/MT) para atuar nas escolas, o presidente Carlos Alberto Eilert, esteve na Assembleia Legislativa do Estado na busca por apoio para derrubada de tal decisão do governador. Na oportunidade, ele entregou uma carta no gabinete de cada parlamentar.

Conforme o PL vetado, para ministrar aulas da disciplina nas escolas públicas e privadas do Estado de Mato Grosso, o profissional deve ser graduado na área e registrado no CREF, além de que caso o projeto fosse aprovado, as unidades de ensino seriam obrigadas a oferecer no mínimo duas aulas semanais de Educação Física para cada turma do ensino médio e 3 para cada turma da educação infantil e fundamental.

Diante da importância desse trabalho a ser realizado nas escolas, o presidente do CREF17 acredita que os deputados estaduais cumprirão seu papel de defensores do bem comum e da sociedade e trabalharão para que o projeto seja implantado em Mato Grosso. “Quem ganha são as crianças do nosso Estado, pois todos sabemos que a obesidade infantil esta cada vez maior e que as crianças da atualidade tendem a viver 10 anos a menos que seus pais, justamente pela má alimentação e falta de atividade física”, disse Eilert.

Na carta entregue ainda aos parlamentares, o CREF17 destaca a falta de respeito também com os profissionais da área “que estão lutando pelo seu diploma de Licenciados em Educação Física, que tem a sua profissão regulamentada e reconhecida através da Lei 9696/98, não só pelos mais de 450 mil profissionais registrados no Sistema, mas também pela Justiça Brasileira. É um desrespeito com toda uma categoria de profissionais que só visa o bem-estar e a melhoria da qualidade de vida da nossa sociedade”, diz trecho do documento.

“Eu acredito que o nosso parlamento estadual não irá se omitir a uma situação tão grave como essa, por isso, aguardamos posicionamento e um trabalho dentro da ALMT no sentido de se derrubar esse veto’, declarou o presidente do CREF17.

Lido 138 vezes